Archive for the ‘Referências’ Category

5 Cliques

novembro 30, 2007

Brands of the World
Muitas vezes você precisa de um logotipo específico para desenvolver, com capricho, certo trabalho acadêmico. O problema, normalmente, é encontrá-lo. Que tal consultar este site?

Logotypes
Não encontrou o logotipo desejado no site anterior? Então, provavelmente, você o encontrará aqui.

What the Font?
Tudo bem. Vamos admitir que você deu azar e não conseguiu encontrar o logotipo em nenhum dos sites acima. O jeito vai ser reconstruí-lo. Mas, se você souber qual fonte foi usada, já ajuda, certo? Isso você descobre neste site.

Dafont
Agora que você já sabe a fonte, falta saber onde encontrá-la. Este site é um bom caminho.

Netfontes
Prefere um catálogo nacional? Tente este. Talvez ele até não seja tão completo quanto o anterior, mas nem por isso deixa de ser uma boa opção.

Anúncios

Guerrilha em escadas rolantes

novembro 23, 2007

Marketing de Guerrilha, hoje em dia, é assunto recorrente em qualquer periódico, site ou blog especializado em publicidade. Embora parte considerável das ações desse tipo tenha qualidade duvidosa, outra boa parte é muito interessante. Como mostra, por exemplo, a seleção realizada pelo blog italiano Disruption, em que se vê uma série de ações desenvolvidas em escadas rolantes de todo o mundo. Entre elas, uma brasileira.

Mídia em tempos de Internet

novembro 13, 2007

Em 2003, a Wieden+Kennedy, considerada uma das melhores agências do mundo, apresentou à Honda um genial roteiro de filme publicitário. Na ocasião, o departamento de marketing da empresa argumentou que tal filme teria tudo para ser um sucesso, não fosse um detalhe: ele apresentava 2 minutos de duração, o que tornava-o economicamente inviável. Como as boas idéias não podem nascer para, em seguida, virar pó, o jeito foi queimar mais um pouco de tutano e encontrar uma solução. Assim foi feito. Através de uma estratégia de mídia bastante ousada, a peça foi veiculada pouquíssimas vezes em programas de grande audiência. A interção era criar um certo buzz entre os que a haviam assistido. Em seguida, encartaram um DVD com o filme (e seu making of) nas principais revistas dirigidas ao público masculino inglês. O resultado não poderia ter sido melhor. Além de ter virado comentário em balcão de pub, os filme se espalhou pela internet, por meio dos próprios consumidores. Isso em uma época em que a banda larga ainda não era tão larga assim e o Youtube simplesmente não existia.

Cog, o filme da Wieden+Kennedy para a Honda

Making Of de Cog

Mais recentemente, já no pós-youtube, a brasileira Almap/BBDO desenvolveu uma ação para o chocolate Twix cuja “estratégia de mídia” também tinha lá sua ousadia: não iria existir verba para mídia. Agência e cliente acreditavam tanto na qualidade do filme produzido a ponto de apostar que sua “distribuição” aconteceria naturalmente por meio dos consumidores. Deu certo. Aliás, deu tão certo que, tempos depois, a empresa se viu obrigada a veicular a peça na TV tradicional, tamanha foi a repercussão positiva e a pressão feita pelos consumidores.

Caramelo, biscoito, chocolate: gargalhadas e audiência on-line garantidas para o Twix

A japonesa Sony, recentemente, também se aventurou por novas estratégias de divulgação. Há muito os comerciais para a linha de televisores Bravia chamam a atenção mundo afora. Tanto pela qualidade das idéias quanto pela exuberância da produção. Balls e Paint, os dois primeiros, são verdadeiros papa-prêmios. O mais recente, Play-Doh, parece seguir o mesmo caminho. Sua estréia, no entanto, foi marcada por ações que até bem pouco tempo lembrariam mais a divulgação de um longa-metragem. Primeiro, começaram a “vazar” na Internet fotos do set de produção. Depois foi a vez de “veicularem” uma espécie trailer na web. Por fim, fizeram a pré-estreia do filme no dia 4 de outubro – algo nada convencional, mesmo em tempos atuais.

Balls, o primeiro papa-prêmios da série Bravia

Paint, o segundo comercial da série

Play Doh e seu teaser/trailer. Coisa de cinema?

Depois de muito suspense, eis o Play Doh, comercial que fez sua pré-estreia na Internet

Na última semana foi a vez de uma cervejaria experimentar desses novos tempo. A irlandesa Guinness viu seu mais recente comercial cair na boca do povo antes mesmo dele estreiar na TV. Tudo começou no dia 8, quando dois jornais de Dublin anunciaram que a cerveja Guinees, uma verdeira paixão daquele país, iria veicular no domingo, 11, o comercial mais caro da sua história. Foi o bastante para levar milhares de consumidores irlandeses à caça de “Tipping Point”, título do filme milionário da cerveja. Dirigido por Nicolai Fugslig, tudo indica que o filme havia sido discreta e intencionalmente vazado para o Youtube antes da primeira e “oficial” veiculação. Além disso, ele fazia parte de um ARG, criado pela cervejaria.

Tipping Point, filme da Guinness dirigido por Nicolai Fugslig

Seja prensando e distribuindo DVDs, criando filmes para veicularem apenas na Internet, divulgando trailers e realizando pré-estréias, ou simplesmente contanto com a mídia tradicional para atiçar a curiosidade dos consumidores à procura de um filme publicitário, fato é que a forma de distribuir estas peças, ou mesmo iniciar uma campanha, vem mudando. Descobrir e explorar essas novas oportunidades não é tarefa fácil. Mas, certamente, será uma habilidade cada vez mais valorizada e necessária para quem quiser trabalhar no campo da publicidade.

5 Cliques – Fora do Eixo

novembro 13, 2007

Já faz algum tempo que Inglaterra, Estados Unidos e Brasil deixaram de ser o pólo criativo do mundo. Todo ano, excelentes agências nascem nos lugares mais inesperados. Que tal conhecer algumas delas?

Zig Ideas

O Canadá nunca teve muita tradição nos festivais publicitários. Mas, aos poucos, agências como a Zig vêm despertando o interesse de publicitários no mundo todo. Já pelo site dá para entender o porquê disso.

Dentsu
Maior agência do Japão, a Dentsu por muito tempo foi conhecida por suas peças esquisitíssimas, ao menos para os padrões ocidentais. Hoje, faz uma publicidade de primeiro mundo (ao mesmo para os mesmos padrões).

Villar-Rosas
Que a Espanha é um celeiro cultural e criativo, ninguém duvida. Se duvidar, basta olhar a arquitetura de cidades como Barcelona e conhecer a obra de alguns pintores espanhóis. Faltava isso se refletir na publicidade. Visite o site da Villar-Rosas e tire suas conclusões.

The Furnace
A Austrália é um país interessante. Tem uma fauna exótica, lindas paisagens e, agora, publicidade de altíssimo nível.

Lowe Bull
O Brasil sempre foi conhecido por ser um país de terceiro mundo que faz publicidade de primeiro mundo. Durante muito tempo, reinou sozinho nesta posição. Não reina mais. Países como Argentina e África do Sul, já há algum tempo, vêm apresentando uma interessante consistência criativa. E isso você pode conferir visitando o site da Lowe Bull, de Johannesburgo.

Toscani, o provocador

novembro 6, 2007

Imagem de um doente de aids, rodeado por seus familiares, fazendo alusão ao Cristo pintado por Andrea Mantegna. Padre e freira em situações nada cristãs. Uma negra amamentando uma criança branca. Embora pareça um contra-senso, ao menos para os ditames do marketing contemporâneo, tudo isso já foi usado em campanhas publicitárias para vender moda. E, queiram ou não, essas campanhas projetaram mundialmente a Benetton, marca de roupas italiana. O pai dessas idéias, tão provocantes quanto questionáveis, é o fotógrafo italiano Oliviero Toscani, que no ano 2000, depois da grande pressão que a Benetton sofreu por causa de uma campanha que usava fotografias de condenados à morte no Texas, deixou de trabalhar para a marca que mais o projetou.

Hoje Toscani está de casa nova: cria para a No-l-ita, outra marca italiana de roupas. Suas lentes, no entanto, continuam cruéis como sempre. Pelo menos é o que indica sua mais recente campanha, que no último mês de outubro ganhou o mundo com um tema atual: a anorexia.

Para conhecer um pouco mais desse ilustre (e tão amado quanto odiado) fotógrafo, clique aqui e leia uma recente matéria publicada pelo jornal El País (texto traduzido para o português). Se quiser ir mais a fundo e desvendar o que pensa e defende o fotógrafo mais polêmico do mundinho publicitário, não deixe de procurar na biblioteca do Uni-BH o livro A publicidade é um cadáver que nos sorri, escrito pelo próprio Toscani. Aliás, você pode reservar este livro clicando aqui.

Abaixo, a última campanha de Toscani e uma seleção de peças do que há de mais polêmico em seu trabalho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5 cliques

novembro 5, 2007

Google Acadêmico
Para quem é estudante, uma das mais interessantes ferramentas do maior site de pesquisas do mundo é o Google Acadêmico. Com ele você encontra uma infinidade de artigos científicos de qualidade, que podem contribuir bastante para o seu dia-a-dia dentro do Uni-BH.

Google Pesquisa em Livros
Encontrar bons artigos científicos no Google Acadêmico é uma mão na roda. Mas ninguém há de discordar que os livros ainda são imprescindíveis. Então, que tal pesquisar palavras, ou até mesmo expressões, existentes nos textos de livros e ainda poder ler a página em que essas palavras se encontram?

iGoogle
Informação de qualidade não falta na internet. O chato é ter que entrar de site em site para acompanhar cada notícia que foi atualizada. Para contornar isso, nada melhor do que o iGoogle: uma página de internet que você pode customizar para exibir as notícias mais atuais dos sites que você mais gosta.

Google Agenda
De nada adianta ter acesso a informações de qualidade se você simplesmente esquecer a data para entregar um trabalho escolar. Para evitar isso, utilize a ferramenta de agenda do Google. Você marca seus compromissos, pode acompanhá-los de qualquer computador com acesso à Internet e ainda consegue compartilhá-los com os amigos.

Google Labs
Gostou dessas dicas? Então aproveite para descobrir algumas outras traquitanas que ainda não foram lançadas oficialmente pelo Google, mas já podem ser testadas por você.

Newscreatives revela os bastidores de sua ação de guerrilha

outubro 25, 2007

Durante a cerimônia de encerramento do último Cannes Lions International Advertising Festival, logo após anunciarem a dupla vencedora do concurso Young Creatives, um streaker profissional (pessoa que de dispõe a invadir locais públicos e correr nua), subiu ao palco vestindo apenas um saiote rosa de balé e meias pretas. Em seu peito podia-se ler “Get seen by the best” (seja visto pelos melhores). Nas suas costas, o endereço do site Newcreatives.com, uma especie de portfólio on-line de jovens criativos de todo mundo.

Agora, alguns meses depois do estardalhaço que causou, o site Newscreative resolveu revelar todo os bastidores da ação: desde a contratação do streaker até o resultado alcançado em mídia espontânea e visitação ao site. Confira.

Existe vida inteligente além da fonte AvantGarde

outubro 23, 2007

Por Alexandre Mota*

Eu odeio a AvantGarde! E não é por causa do desenho da letra. Ela é uma excelente fonte, com um projeto geométrico interessante – bem ao estilo “Bauhausiano”, simples e funcional. O único e irremediável erro da fonte, que a condenou provisoriamente às penúrias do inferno tipográfico, foi casual. O que incriminou a digníssima foi ser escolhida como a fonte inicial quando se digita alguma coisa (qualquer coisa), no CorelDraw, o software mais usado na criação publicitária.

Vamos lá. Iniciar, CorelDraw. Novo documento. Formato do anúncio. Digita. Aparece a distinta. Fica aquela dúvida: qual fonte usar. Olha o menu, dá uma passeada, passa Comics Sans (ai!), olha, olha, Impact, olha, olha, Tahoma, olha, olha, Times New Roman, olha, olha, olha, olha, Mistral (brrrr!!!), Verdana, olha, olha, olha e volta. AvantGarde. Ah! Vai esta mesmo. Ela serve.

NÃO, NÃO. PÁRA TUDO. Uma fonte não é simplesmente “ela serve”. A questão é que a letra é imagem. A grande potencialidade da letra não é acreditar na sua invisibilidade, mas saber que a letra É INFORMAÇÃO antes mesmo do texto ser lido. A forma como o conteúdo é “embalado” vai influenciar, direcionar, potencializar, limitar ou distorcer a maneira como este conteúdo será interpretado. É possível formatar a mesma informação de infinitas maneiras. Em cada uma delas existe uma sugestão, uma opinião, uma tendência, uma perspectiva, um olhar. Como nos exemplos que você confere aqui.

A AvantGarde é uma boa fonte, uma pena ser escolhida a fonte inicial do Coreldraw.

*Mestre em Comunicação Social pela UFMG, coordenador da agência júnior DaVinci, orientador das agências experimentais do 8º período e professor da disciplina Direção de Arte II no curso de Publicidade e Propaganda do Uni-BH.

5 Cliques – Podcasts

outubro 23, 2007

Os podcasts, espécie de “programas de rádio” que podem ser baixados pela Internet, cada vez mais se revelam uma interessante fonte de informação. No Brasil, você já pode encontrar alguns bons exemplos de podcasts sobre publicidade. Para conhecê-los, ligue as caixas de som do seu computador (ou prepare o seu MP3 Player) e comece a clicar nos links abaixo.

Maxipod
Podcast do Maximidia, o mais importante evento anual de comunicação e marketing do país. Entrevistas com os principais participantes e debates com diversos profissionais do meio.

Casos da Propaganda
Waltely Longo e Mané Mauger, dois publicitários da “velha guarda”, contam casos e mais casos interessantes, ocorridos em grandes agências de todo o país.

Opinião
Podcast “assinado” por Walter Longo, o atual diretor de estratégia e inovação do Grupo Newcomm – holding formada pela associação de Roberto Justus e Grupo WPP. Assuntos interessantes e variados, sempre acompanhados da análise inteligente de um dos mais respeitados profissionais da publicidade nacional.

1º Encontro Internacional de Redação Publicitária de Paraty

O que se discute em um em um encontro de redação publicitária? Para descobrir, um bom começo é ouvir este podcast.

Braincast
Podcast de um dos mais famosos blogs nacionais sobre publicidade, o Brainstorm #9. Carlos Merigo e seus convidados discutem o que de mais recente acontece no cenário publicitário.

5 Cliques é uma coluna semanal com dicas de sites que direta ou indiretamente fazem referência ao universo publicitário. Caso queira contribuir com sugestões, envie um e-mail para sitepublicidade@unibh.br.

Comunicar Sempre

outubro 18, 2007

Por Rogério Tobias*

A quantidade e a forma que uma empresa se comunica com os clientes podem ser decisivas para o seu crescimento e a sua permanência no mercado. Muitos empresários ainda entendem que a comunicação somente ocorre quando a organização utiliza das mídias para passar mensagens para o seu público-alvo. Isso é fundamental, mas, é apenas parte do processo de comunicação.

Comunicação é algo muito amplo. Pertence ao composto de marketing e se divide em diversos elementos, tais como propaganda, merchandising, relações públicas, vendas, publicidade, marketing direto e promoção de vendas.

Comunicar é imprescindível para as empresas! O processo de comunicação precisa ocorrer e ser monitorado todos os dias, a toda hora e em todo lugar. Tudo o que a empresa faz ou deixa de fazer de alguma forma transmite algo para os clientes. Aspectos tais como atendimento, organização das mercadorias nas gôndolas, horário de funcionamento, capacidade dos colaboradores de resolverem problemas dos clientes, relacionamentos da equipe de vendas, clima emocional, ou padrão dos serviços, podem muitas vezes difundir idéias e causar percepções mais fortes do que a comunicação paga, veiculada através da mídia.

Muitas organizações gastam milhares de reais para conseguirem transmitir uma imagem de modernidade, de disponibilidade e de eficiência, mas, freqüentemente o cliente vai até o ponto de venda e é atendido por um vendedor sem preparo ou boa vontade, o que contradiz totalmente o que foi veiculado. Em muitos casos eles são encontrados debruçados sobre o balcão, de mãos no queixo, ou em grupos de conversa, no fundo dos estabelecimentos.

A capacidade de comunicação está muito ligada à motivação das pessoas que comunicam. Sempre recomendo o maior zelo possível com tudo aquilo que está aos olhos dos clientes. É preciso transmitir o que a empresa tem de melhor. Cada organização ou segmento de mercado possui características próprias que são esperadas pelos clientes e essas expectativas devem ser atendidas ou superadas. A comunicação acontece a todos os momentos, até com a empresa fechada. Placas sujas, mensagens telefônicas de teor infeliz, site fora do ar, veículos com o nome da empresa com procedimentos inadequados no trânsito, são alguns exemplos de comunicação negativa que podem ser praticadas.

Tudo deve começar dentro da empresa. O endomarketing, que é o marketing direcionado ao público interno deve ser trabalhado constantemente. Todos precisam estar sensibilizados para as necessidades e desejos dos clientes e devem estar conscientes do objetivo estratégico da empresa, que é servir o cliente da melhor maneira possível.

A comunicação deve ser trabalhada sempre, porque, é como fala George Bernard Shaw: “O maior problema com a comunicação é a ilusão de que ela foi alcançada.”

*Autor do livro “121 artigos de Marketing”. Mestre em Marketing, administrador, professor de marketing do Uni-BH: curso de Publicidade e Propaganda e curso de pós-graduação em Comunicação e Marketing. É também professor de cursos de MBA em Marketing, Gestão de Negócios e Gestão de Marcas. Palestrante e diretor da RT Consultoria e treinamento.